sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

SONETO DA ESSENCIALIDADE


Foto By Jones Poa - Cais do Porto - Porto Alegre – Brasil - Nov. 2011

Dissiparam-se toda as dores,
outrora aportadas no peito,
libertam-se soberbas cores,
descansadas na paz do leito.

Na calmaria, uma paz aquiescida,
não há solidão que amedronte,
solitária quedo-me esquecida,
além dos limites do horizonte.

Atracando-me à margem, frugal,
reluto em deixar-me à deriva,
ancorando-me fundo, abissal.

Na lâmina d’água clara e calma
refletem: em eterna evocativa,
essências, que navegam n’alma.

17 comentários:

  1. Minha amiga Celêdian.

    Ainda me amedronto com a solidão da alma. Creio que sequer diante da morte perderei esse temor. Mas, navegar é preciso, não é? O horizonte está logo ali, no entanto, por mais que se navegue, jamais alcançamos definitivamente seu enraizar.

    Que belo, minha amiga. Me deu certa melancolia, indo de verso em verso, passeando neste ir e vir pelas rimas. Contudo, foi deveras fácil aportar nesta baia sagrada chamada poesia.

    Que bom tê-la aqui. Faz falta.

    Abraços, minha amiga.

    Marcio

    ResponderExcluir
  2. Amigos, o meu blog "A Pequena Notável .poesia do cotidiano." foi alterado para o endereço abaixo:

    http://samarabassi.blogspot.com/

    Peço que atualizem e agradeço.
    Meu abraço,
    Sam

    ResponderExcluir
  3. auroras, borais de tarde
    mas me parecem muito além de por do sol
    mas uma silenciar dos olhos
    um retalho de céu
    um punhado de Deus
    uma prece na mão
    na calma e no vão
    do meu solitário fechar breve de pálpebras.

    Lindo como sempre, minha querida.
    Meu beijo
    Sam

    ResponderExcluir
  4. Linda e profunda esta essencialidade alem do horizonte,levando o barco da vida para uma ancoragem tranquila e segura.
    Bela inspiração minha amiga, sempre com um olhar fiel numa imagem.
    Meu carinhoso abraço de paz e luz.
    Bju.

    ResponderExcluir
  5. Trazendo o carinho do meu serzinho.. rss

    Beijo
    Saudades
    Tatto/Xipan

    ResponderExcluir
  6. Celêdian, que lindo soneto! Estou encantado em conhecer este teu canto. Abraços sempre afetuosos. Fábio.

    ResponderExcluir
  7. Querida, obrigado pela visita lá em nossa casa. Volte sempre. Abraços sempre afetuosos. Fábio.

    ResponderExcluir
  8. O espelho natural da lâmina d´agua, sempre profundas águas, sempre fundo o espelho . Belo soneto !

    ResponderExcluir
  9. Bonito de reler e sentir este poetar voejante.
    Sempre lindo minha amiga.
    Carinhoso abraço.

    ResponderExcluir
  10. Calêndian.

    Gostei muito deste seu poema. (É sempre muito bom passar por aqui...)

    Abraços,
    Pedro.

    ResponderExcluir
  11. Venho deixar um abraço imenso e retribuir o carinho, seja por tantos anos, ou por alguns dias. Mas principalmente, pela troca e bonitezas que surgem e dos amigos que conquistamos e que no fundo, no fundo, não são tão virtuais assim...

    Tem um presente pra você aqui: http://samarabassi.blogspot.com/2012/03/vasto-coracao.html

    Espero que se sinta num abraço e que goste.
    Deixo o meu carinho,
    Sam.

    ResponderExcluir
  12. Enquanto eu gozar este belo soneto versos reflexivos, aproveito para enviar uma saudação, em gratidão por sua amável visita ao meu blog.
    Desculpem a pobreza do meu Português.

    Um abraço fraterno

    Roberto

    ResponderExcluir
  13. Querida Celêdian, queremos te oferecer um lindo selo de artes que recebemos. Está lá no nosso blog. Abraços sempre afetuosos. Fábio.

    ResponderExcluir
  14. Calêdian, vim conhecer sua página e adorei esse poema. Adoro ficar em solidão de mim com o mundo para produzir minhas crônicas. Um beijo em seu coração.

    ResponderExcluir
  15. Calêdian,
    Que maestria esse soneto.
    O teu dom é de ser poeta moça!

    Obrigada pelo carinho lá no maninho (Marcio).
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  16. Celêdian, minha querida amiga.

    A blogosfera tá muito chata sem tua presença. Meus 3 padrinhos resolveram tirar uma folga, e todos juntos ainda por cima. Estou me sentindo órfão. rsrs.

    Minha amiga, uma Páscoa super-recheada de felicidades pra ti e pra toda a família e amigos.

    Bjs.

    Marcio

    ResponderExcluir
  17. Minha boa amiga Celêdian,

    após um hiato de cinco meses, é para mim um prazer imenso voltar a ler e comentar seus excelentes textos literários.

    Nesse catorze versos belamente rimados, você nos dá uma lição do que é realmente essencial neste mundo, aquilo que nos vai na alma, as essências do vivido que nos levam à serenidade. Teus versos me trouxeram isso e eu só tenho a lhe parabenizar, e a lhe agradecer.

    Continue sempre inspirada, querida amiga, sua poesia continua sendo essencial para muitos que a lêem.

    Um grande abraço,
    André

    ResponderExcluir

Obrigada pela tua presença. Sinta-se à vontade, comente. Por gentileza, identifique-se. Seja bem vindo!