quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

AUSÊNCIA

Igreja de São Francisco - Pampulha- Belo Horizonte


AUSÊNCIA

Sinto falta, desejo, saudade da tua "presença"

Sinto alegria, felicidade, calma, doces lembranças de ti

Sinto ausência do fogo, da chama a nos consumir

Sinto presente o encanto, latente, eterno, sempre a fluir

Sinto apenas que quero e preciso de ti


Então porquê me ausento e me privo de ti?

Então porquê te ausentas e não te dá a mim?


De mim eu sei, o tempo, atropelos,

A luta da lida, necessidades, consequências,

Mudanças nos rumos pela ordem de sobreviver
Sinto que a vida passa e esvai-se o tempo
E aumenta a saudade na ausência de ti


De ti eu não sei, quisera tanto saber.



Um comentário:

  1. Saudades não escolhe hora, amores não escolhem tempo para reacender velhas cinzas, é só alimentá-las, que o fogo transforma-se em labaredas. Tenta trazer os ventos na tua direção, dos fogos, sempre fica uma brasa acesa.

    ResponderExcluir

Obrigada pela tua presença. Sinta-se à vontade, comente. Por gentileza, identifique-se. Seja bem vindo!